Viajar barato para Buenos Aires










Foto:  R-Gasman

Foto: R-Gasman

A cidade

Buenos Aires, a capital da Argentina, é provavelmente um dos destinos estrangeiros mais populares entre os brasileiros. As razões são simples. Voos diretos baratos saem diariamente de várias cidades. A cotação é favorável e troca-se reais facilmente em território argentino. Há inúmeras opções de restaurantes com ótimo custo-benefício. O idioma, espanhol, não é um empecilho para nós que falamos português.

Além disso, a cidade é um charme: muitos consideram um pedacinho da Europa na América do Sul.

 

O que fazer em Buenos Aires

Casa Rosada

A Casa Rosada é a sede da presidência da República Argentina. É localizada em frente à Plaza de Mayo, outro grande ponto turístico da cidade. O prédio tem essa cor devido ao fato de que, na época de sua construção, no século XIX, sangue de vaca era adicionado às tintas brancas para reduzir o custo do produto.

 

El Caminito

A rua mais famosa do distrito de La Boca é repleta de lojinhas, dançarinos de tango e artistas locais vendendo seus trabalhos. Os grupos de turistas são presença constante, então espere preços mais altos que em demais pontos da cidade. As casinhas coloridas desse museu a céu aberto são um cenário imperdível para fotos.

 

Cemitério de Recoleta

Localizado no bairro de mesmo nome, o cemitério se destaca pelas esculturas, imensos túmulos e belíssimos jardins. Nele estão sepultadas diversas personalidades portenhas, incluindo Eva Péron, ex-primeira dama argentina. Há tours guiados diários saindo do pórtico de entrada, mas também é possível caminhar pelas ruas da necróple sem precisar pagar.

 

Onde ficar em Buenos Aires

O bairro de Recoleta e região é uma delícia. Perto das principais atrações e pólos gastronômicos, como Palermo Holywood, oferece acesso fácil a todas as comodidades. Uma opção é alugar um apartamento pequeno com cozinha, cujas diárias podem sair a partir de USD 25 por pessoa.

O site http://www.4rentargentina.com/ oferece diversas opções confiáveis e ainda dá a opção de translados do aeroporto, pagos a parte.

Outras opções de acomodação baratas são:

Localizado em Montserrat, em uma construção do século XIX, perto do Centro, San Telmo e Puerto Madero. Oferece quartos privados com banheiros compartilhados e café da manhã incluído

Localizado na Avenida de Mayo, que desemboca na Casa Rosada, esse albergue oferece quartos compartilhados com até seis pessoas, por cerca de USD 15 a diária.

Com quartos para quatro ou seis pessoas, esse pequeno albergue em Palermo Hollywood oferece bar próprio com preços amigáveis e uma atmosfera relaxante. Palermo fica mais distante do centro, mas não se preocupe: a locomoção em Buenos Aires pode ser feita exclusivamente por táxi, sem precisar desembolsar muito.

Onde comer em Buenos Aires

A capital Argentina oferece diversas opções de restaurantes em conta, principalmente para os amantes de churrasco acompanhado de um bom vinho. Fuja dos lugares mais conhecidos (leia-se Siga la Vaca e afins), que são abarrotados de ônibus de turistas desembarcando de hora em hora.

  • Cumaná (Rodriguez Peña 1149, Recoleta)

Especializado em culinária local, não é caro, mas mesmo assim não deixa de ser delicioso. O ambiente é rustico, simples e os frequentadores são moradores da cidade, em sua maioria.

Em um dos restaurantes mais badalados da cidade é possível conseguir uma belíssima refeição por cerca de R$ 25~40 e desfrutar de um ambiente agradável e descolado.

Desde 1934 essa pizzaria alimenta turistas e locais em busca de uma refeição em conta, mas saborosa. El Cuartito oferece também diversos sabores de empanadas. Fica no Centro, próximo à Plaza Libertad.

Como chegar

Do Brasil, há voos diretos saindo do Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Brasília e outras capitais. Os voos, com duração média de 3 horas, saindo de SP, são operados pela TAM, LAN, Gol e Aerolíneas Argentinas. Frequentemente há promoções de passagens, que podem chegar a preços tão baixos quanto R$ 300, ida e volta.

Fique atento para promoções com milhas: há ocasiões em que os trechos chegam a apenas 4 mil pontos.

Saiba mais